Castração em Cães e Gatos: tudo o que precisa de saber

Castração em Cães e Gatos: tudo o que precisa de saber

Março 09, 2020
Dr.ª Patrícia Azevedo
Médica Veterinária

A castração é um procedimento de rotina muito comum na prática de clínica veterinária, tanto em cães como em gatos, fêmeas e machos. Este procedimento consiste na remoção das gónadas, ou seja, órgãos onde se formam as células reprodutoras. No caso do macho, consiste na remoção dos testículos, e na fêmea dos ovários.

 

Castração em machos

A castração em cães machos consiste na remoção das gónadas masculinas – testículos, que produzem espermatozóides.

Este procedimento pode ocorrer de forma química ou cirúrgica, sendo que a mais comum é a opção cirúrgica. A castração química, através de fármacos, é apenas utilizada em casos em que não é recomendável a realização de uma anestesia.

Em gatos machos, trata-se de um procedimento cirúrgico, realizado sob o efeito de anestesia geral, de fácil recuperação. O médico veterinário faz duas pequenas incisões por onde remove os testículos e depois ocorre cicatrização por segunda intenção, ou seja, sem pontos.

Uma vez que se trata de um corte muito pequeno fecha naturalmente, sem haver necessidade de ser fechado.

Em cães machos também é possível que a remoção dos testículos seja realizada através de um corte em cada testículo. Contudo esta técnica não costuma ser utilizada por rotina, mas sim em alguns casos excecionais.

O procedimento mais comum é a realização de um pequeno corte na região pré-escrotal, ou seja, acima dos testículos, por onde o médico veterinário cirurgião consegue remover os testículos.

Neste caso, o cão leva alguns pontos de sutura, que normalmente são absorvíveis, ou seja, não há necessidade de serem removidos.

 

castração cão e gato - tudo o que precisa de saber

Castração em fêmeas

A castração em fêmeas, é denominada por esterilização e existem vários tipos de esterilização. Tanto em gatas como nas cadelas, a remoção das gónadas, ovários, implica um acesso à cavidade abdominal da fêmea.

Em Portugal, o método mais utilizado é a ovariohisterectomia (OVH) em que são removidos os ovários e o útero, no entanto é possível também a realização de ovariectomia (OVE), em que apenas são removidos os ovários.

Ambas as técnicas podem ter várias abordagens, podendo ser realizada uma incisão na barriga, ou lateralmente.

A técnica cirúrgica escolhida depende de vários fatores, e especialmente da experiência do médico veterinário cirurgião.

Assim, o maior cuidado a ter é vigilância da cicatriz, sua limpeza e desinfecção durante cerca de 7 dias.

E se possível, restrição de movimentos durante os dois a três primeiros dias após a cirurgia.

castração em cães e gatos - tudo o que precisa de saber

 

Com que idade é possível fazer a castração?

A idade ideal para fazer a castração não existe. Existe sim uma idade a partir da qual é possível realizar o procedimento, e uma data a partir do qual os benefícios da castração não são tantos.

A maioria dos médicos veterinários aconselha a castração por volta dos 6 meses de idade, pois é a partir desta altura, aproximadamente, que atingem a maturidade sexual e se podem começar a reproduzir, ocorrendo flutuações hormonais.

 

7 Benefícios da castração

castração em cães e gatos- tudo o que precisa de saber

 

1- Tumores Mamários

A maioria dos tumores mamários nas fêmeas tem uma relação direta com as flutuações hormonais que decorrem durante os ciclos reprodutivos das fêmeas ao longo da sua vida.

Assim, quanto mais cedo esterilizar a sua gata ou cadela, menor é a probabilidade de esta vir a sofrer de tumores mamários, sendo que se a esterilização ocorrer antes do primeiro cio a probabilidade de desenvolvimento de tumores mamários é praticamente nula.

 

2- Problemas na Próstata

A maioria dos cães machos não castrados desenvolvem problemas prostáticos.

Nomeadamente iperplasia benigna da próstata, que pode, como o próprio nome indica, é benigno, mas resulta num aumento deste órgão que pode causar desconforto e condicionar a vida do animal.

O tratamento deste problema passa pela castração dos machos, no entanto pode ser prevenido através da castração precoce.

 

3- Infeções Uterinas

As infeções uterinas, ou piómetras, são situações frequentes que podem ocorrer em fêmeas não esterilizadas, devido às flutuações hormonais após o cio.

Estas infeções são situações graves que devem ser tratadas como uma urgência médica e o tratamento passa pela remoção do útero.

Pelo que, a esterilização precoce, pelo método de OVH, previne a 100% a ocorrência desta infeção.

 

4- Contracção 100% Eficaz

Retirar as gónadas aos machos e às fêmeas é o método mais eficaz de contraceção.

Se pretende que os seus animais não se reproduzam, optar pela castração ou esterilização é o método mais fiável.

 

5- Anulação do Cio

Ao esterilizar a sua cadela ou gata, os sintomas de cio como sangramento, tentativas de fuga, agressividade, entre outros, desaparecem.

 

6- Redução de comportamentos agressivos

Especialmente em machos, este pode ser um benefício importante.

A castração dos machos reduz a agressividade relacionada com instintos sexuais relativamente a outros machos ou pares.

Caso a causa da agressividade do seu animal seja de origem não sexual, o problema não irá ser resolvido apenas com a castração, e deve consultar um especialista em comportamento animal.

 

7- Diminuição de marcação de território nos machos

Os machos, tanto cães como gatos, têm tendência para marcar território através de marcação urinária. O que pode ser bastante desconfortável para animais que vivem no interior de casas.

A castração precoce antes do comportamento surgir resolve o problema. Contudo, caso o gato ou cão tenham desenvolvido este hábito, pode demorar a resolver ou pode não ser resolvido com a castração.

Carrinho de compras
Produto adicionado ao carrinho com sucesso. Vêr carrinho de compras

Subscreva a nossa newsletter!

Receba todas as novidades e artigos do nosso blog!


    WhatsApp